Política

Alex de Freitas jogou a toalha. Começou a eleição

O Prefeito Alex de Freitas anunciou que não será candidato à reeleição em outubro. Segundo informações do Jornal O Tempo, as razões da desistência foram particulares: dedicar mais tempo a afetos e amores. Escolheu a família.

De uma forma ou outra ele acabou dando início às eleições municipais. Várias conversas já estão sendo feitas, alianças formadas, porém agora é o momento das conversas começarem a ficar mais claras e os papéis mais definidos.

A ex-prefeita Marília Campos chega ao pleito como super favorita, aparentemente sem adversários capazes de vence-la. E ela ainda tem uma vaga de vice na chapa que está sendo negociada com a calma de quem sabe que está com a vantagem.

O ex-prefeito Carlin Moura deve ir para a disputa de vereador. Para ele, é mais fácil vencer a eleição de vereador do que a de prefeito e é importante para o Partido dele, o PCdoB, ter candidatos eleitos e acumular votos pelo país. Pode estar em jogo também uma troca de apoios: Carlin apoia Marília em Contagem e o PT apoiaria o PCdoB em Belo Horizonte.

O ex-prefeito Ademir Lucas também tem seu nome ventilado, mas suas últimas disputas eleitorais não dão nenhuma boa perspectiva para ele. Contudo Ademir seria um bom candidato a vice em uma chapa de centro; o problema é que não existe uma chapa com essas características.

Os deputados Professor Irineu e Léo Mota também estão com nomes postos. Porém, até o momento, nada indica que um dos dois seja páreo para a ex-prefeita Marília Campos. Podem, no entanto, liderar uma chapa competitiva desde que encontrem um vice realmente capaz de agregar votos.Há ainda o nome de Coronel Fiúza, que apareceu com destaque em pesquisas recentes sobre intenção de votos em Contagem. Ele foi comandante do 18º Batalhão da PMMG e participou de diversas governos, inclusive da gestão de Alex de Freitas, integrando a Secretaria de Defesa Social.Fiúza tem bom trâmite político e pode atrair os votos daqueles que nutrem certo fetiche por candidatos fardados e com patentes militares. Considerando o cenário nacional que opõe o PT e os políticos militarizados, o Coronel Fiúza pode vir a servir de antagonista à ex-prefeita Marília Campos.

Uma incógnita agora, com a desistência de Alex de Freitas, é qual será o caminho tomado por William Barreiro. Ele é um candidato com potencial, tem a máquina da Prefeitura a seu favor e não tem o peso de ser o titular do cargo de prefeito. Nessas condições, ele pode se eximir de algumas ações desastrosas de Alex de Freitas e ao mesmo tempo usufruir dos bônus do poder.

Ao vice, toda glória

Com exceção de Marília Campos, que hoje ganharia a eleição quase sem precisar de fazer campanha, todos os outros possíveis candidatos precisam de um vice forte e agregador de votos.

Hoje o melhor candidato a vice seria o vereador Alex Chiodi. Vereador em terceiro mandato, ele foi o segundo mais votado nas últimas eleições e é herdeiro dos votos e do trabalho de sua mãe, Maria José Chiodi.

Chiodi tem potencial para atrair um eleitorado newtista que é relevante em Contagem, mas que até agora não tem representante. Os newtistas são aqueles eleitores fiéis ao estilo político do ex-prefeito e governador Newton Cardoso. Boa parte do eleitorado, especialmente em regiões de Nova Contagem, Petrolândia e Ressaca, tem famílias inteiras criadas no populismo newtista.

Ainda que muitos desses eleitores tenham sido incorporados ao populismo petista e, mais recentemente, ao populismo bolsonarista, esse é um tipo de eleitor que traz em si uma forte tendência de apego aos líderes locais e em Contagem a melhor representante dessa política ainda é Maria José Chiodi e o seu herdeiro político.

Alex Chiodi tem mostrado um perfil político pragmático e pouco disposto a correr riscos. Tem bandeiras claras, manteve postura independente em relação aos prefeitos que passaram durante seus mandatos, mas também nunca assumiu postura de conflito com nenhum deles. Ele aparenta ser um bom candidato a vice, mas se o xadrez se organizar com uma disputa entre Marília e qualquer outro radical de direita, ele seria uma terceira via atraente para os eleitores de centro.

Outros candidatos, como o também vereador Rubens Campos, se oferecem no mercado como vice. Campos tem tido uma boa postura como vereador, mas em um cargo majoritário todos os votos dele migrariam facilmente para a principal candidatura de esquerda, no caso a de Marília Campos. É pouco provável que ele seja capaz de puxar votos da esquerda para uma candidatura de direita – como de Irineu, Ademir, ou William Barreiro – e teria dificuldades inclusive para atrair votos para uma possível candidatura de centro como a de Alex Chiodi.

E você, o que acha? Esquecemos de citar alguém? Dê sua contribuição ao debate.

Categorias:Política

Marcado como:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s