Contagem

Xadrez político de Contagem: PT pode ter MDB como vice. Aliança é novidade e fortalece candidatura petista

A candidata petista, Marília Campos pode ter um vice do MDB. Caso confirmada a aliança, Ricardo Faria seria o indicado ao cargo de vice-prefeito na chapa encabeçada por Marília Campos.

O clima de rivalidade entre os dois partidos chegou ao extremo após o PMDB liderar a ação de impeachment contra a ex-presidente Dilma, do PT.

Desde então, petistas e emedebistas trocam farpas com frequência e acusações de todo tipo. Porém, a aliança entre os dois não chega a ser uma novidade, mesmo após o impeachment, e já foi realizada nas eleições passadas.

Além disso, considerando apenas o contexto da eleição municipal, a chegada de Ricardo Faria poderia fortalecer bastante a candidatura petista em Contagem, atraindo votos em regiões e em grupos ideológicos que não costumam caminhar com o PT.

A informação é de bastidores e não foi confirmada oficialmente pelos partidos.

PSD de Kalil, Carlos Viana, Anastasia e Medioli vem no pacote

Além de trazer o MDB, a aliança traria também o PSD, que é hoje um dos partidos com mais força eleitoral em Minas Gerais.

A convenção do MDB em Contagem já tinha feito coligação com o PSD. Por isso, se for confirmada a aliança do partido com o PT, Marília Campos traria também o partido que tem em suas fileiras o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, os senadores Carlos Viana e Antônio Anastasia, e o Prefeito de Betim, Vittorio Medioli.

Não custa lembrar também que o PSD é outro dos partidos que votou a favor do impeachment de Dilma.

De quebra, a aliança ainda tira totalmente da disputa o repórter Rafael Martins, que era apontado como candidato de Carlos Viana e do PSD em Contagem.

Falta combinar com a militância

Utilizando um termo comum em política, do ponto de vista “pragmático” a aliança é perfeita.

Falta saber se a militância do PT compreenderá a lógica política e os números utilizados na fórmula para propor a composição e como seria o convívio entre petistas e emedebistas em uma futura administração municipal.

E ver a reação dos outros partidos aliados

A convenção do PT já tinha como aliança prioritária o PCdoB e o PSB. Contudo, pelo menos em um primeiro momento, a coligação com o MDB não deve atordoar muito a relação com os outros partidos.

O ex-deputado Ricardo Faria é ex-vereador da cidade, é irmão de um vereador eleito, Vinicius Faria, e tem bom trânsito entre os políticos de Contagem.

Não custa lembrar também que, apesar de estar no MDB hoje, Faria ganhou a eleição de deputado estadual defendendo uma candidatura do PCdoB, com apoio do ex-prefeito Carlin Moura.

Ele inclusive chegou a ocupar cargo de Secretário Estadual no Governo de Fernando Pimentel, do PT.

Essa posição política pode mudar e outros cenários podem surgir, pois os bastidores políticos estão intensos. Muita coisa pode ser revista até o dia 26 de setembro, quando as candidaturas devem ser registradas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s