O ex-diretor do Bolsa Moradia, Tonny Anderson, alegou compromissos prévios e não compareceu a reunião da CPI que iria ouvir sua versão para o caso.

Ele alegou que recebeu o convite da câmara em prazo menor que o exigido, de 48h, e por isso não teve como se preparar. Ainda alegou que não teve acesso às informações e acusações sobre ele e que desta forma não teria como se defender plenamente.

O depoimento do servidor foi remarcado e deve ocorrer no dia 21 de setembro. Nessa reunião será ouvida também a ex-diretora Denise Coelho de Carvalho, que se ausentou da reunião do dia 09 de setembro, alegando motivos de saúde

Tonny Anderson foi acusado pela prefeitura de desviar aproximadamente R$4mi do bolsa moradia para suas contas particulares. Ele nega. O caso está sendo investigado pela Polícia, Ministério Público e pela CPI na Câmara dos Vereadores.