Infelizmente, o uso de mentiras na campanha eleitoral tem sido uma constante. Mesmo quando não está presente na campanha oficial, se espalha na rede de apoiadores. Sempre de forma orquestrada. Nesta semana, a justiça interviu várias vezes para impedir ações ilegais e mentiras entre os apoiadores de Saliba.

A última decisão ocorreu hoje, sábado. A justiça mandou recolher folhetos de campanha dizendo que Marília era apoiada pelo Prefeito Alex de Freitas. Isso é mentira e a justiça mandou recolher.

O prefeito Alex de Freitas não apoia candidatos nesta eleição. Contudo, muitos de seus apoiadores políticos participam efetivamente da campanha de Felipe Saliba.

Ainda durante a semana, a justiça tinha mandado recolher bandeiras irregulares fazendo campanhas contra o PT, mas que não tinham a marca da campanha e caracterizavam uso de dinheiro não declarado. Um candidato pode falar mal do partido do outro, nada impede na legislação eleitoral. O que a justiça não permite é que seja feito material de campanha sem declarar origem ou utilizando recursos não contabilizados no caixa oficial de campanha.

Também circulou entre os apoiadores de Felipe Saliba, mentiras em relação a projetos de Marília Campos. Uma dessas dizia que o PT quer criar banheiros unissex nas escolas. Coisa semelhante foi feita contra a candidata Manuela Dávila em Porto Alegre. Obviamente é mentira.

Chega a ser tão ridículo que dá vontade de rir. Não se pode proteger quem espalha uma bobagem dessas e não se pode inocentar quem acredita. Quem acredita em coisa tão ridícula e vota com base em mentiras tão escancaradas, é tão criminoso quanto o mentiroso.

É coisa parecida com quem votou em Bolsonaro com medo do Kit Gay. Cidadãos do Brasil, não se iludam. É uma mentira criada como piada que se espalha e os ingênuos acreditam. Ou melhor, os mal intencionados acreditam. Digo mal intencionados, pois é uma mentira tão óbvia que a pessoa só acredita porquê quer. É claro até para o mais ingênuo dos cidadãos que a coisa é impossível e mentirosa. Mas ainda assim a pessoa acredita.

Portanto, alguém que utiliza uma mentira para sustentar uma opinião, é uma pessoa mal intencionada; não importa se é educado ou analfabeto, rico ou pobre, de direita ou de esquerda. Se a pessoa utiliza uma mentira para justificar sua opinião, ela é mal intencionada e diria até que é mau caráter.

A rede de apoio de Felipe Saliba em Contagem usou e abusou da mentira. Se alguém mente enquanto ainda é candidato, o que me faz crer que ela falará a verdade depois de eleita? O Felipe Saliba é um desconhecido, não tem história em Contagem, portanto, não podemos afirmar que ele concorde com essas mentiras. Mas ele tem se beneficiado disso e tem ficado calado.

Se uma pessoa fica calada diante de uma injustiça, apenas pelo fato de que essa injustiça vai favorece-lo, então esta pessoa é cúmplice da injustiça.

Não precisamos nem merecemos governantes injustos. Por isso, nestas eleições, o Coluna1 optou por Marília Campos e declara voto na ex-prefeita, número 13.