Muitos candidatos reclamam de problemas na listagem e classificação final dos Processos Seletivos Simplificados – PSS – para contratação de trabalhadores para rede municipal e Funec. Diante das críticas, a Ouvidoria da Prefeitura iniciou um processo para receber reclamações relativas ao processo. O prazo para apresentar as reclamações acabou na última sexta-feira, 19, mas hoje, na reunião dos vereadores, a questão voltou à pauta.

Os vereadores solicitaram que a líder do Governo, vereadora Moara, agende uma reunião com o a Secretaria Municipal de Educação, Telma Fernanda Ribeiro, e pedem acesso ao relatório final da Ouvidoria com indicações das reclamações recebidas.

O vereador Alex Chiodi destacou a urgência do tema e lembrou que as dúvidas sobre o processo criam problemas inclusive para os candidatos que já foram empossados e alerta para a necessidade de avaliar a suspensão ou não dessas nomeações. “Pensa bem, como você vai chegar para uma pessoa já nomeada e falar para ela que houve um erro e que ela não está mais contratada? É uma situação que tem que ser tratada com urgência”, disse o vereador.

Segundo os vereadores Alex Chiodi (SD) e Carlin Moura (PDT), que deram início ao questionamento, existem reclamações e pontos a serem esclarecidos em relação ao sistema utilizado e falhas. De acordo com eles existem falhas comprovadas na apuração de títulos e diplomas, além de desconsideração de comprovantes de tempo de serviço.

Os vereadores relataram que existem denúncias de que foram considerados títulos de pós-graduação não relacionados com a área de educação e candidatos que foram eliminados da listagem de forma irregular, segundo eles.

O vereador Pastor Itamar, que é o presidente da Comissão de Educação da Câmara, salientou a necessidade de reunião e diálogo para que seja dada uma posição definitiva aos candidatos.

A vereadora Moara Saboia reforçou a necessidade de esclarecer as dúvidas e lembrou a necessidade de celeridade no tema “para não prejudicar o retorno as aulas, em especial às escolas de perferia que estão com seus quadros de profissionais prejudicados, mas temos também que manter o respeito pelos profissionais da educação”.