Contagem

Explicações do Deputado Professor Irineu para justificar fura fila da vacina criam mais problemas do que soluções

Para se defender da acusação de “fura-fila”, o deputado estadual Professor Irineu informou que foi vacinar em Betim, porque tem imóvel naquela cidade. Ao dizer isso, ao invés de dar explicações, o deputado e ex-candidato a prefeito de Contagem, professor Irineu tornou seus problemas ainda maiores. Problemas que ele terá que explicar melhor.

O deputado poderia se limitar a dizer que se vacinou em Betim por causa de uma confusão da atendente da unidade de saúde, que informou aos seus assessores do deputado que ele poderia se vacinar lá. Chegando ao local, Professor Irineu ficou sabendo que só poderia se vacinar caso sobrassem doses da vacina. Ele esperou, igual a todos os outros, e no fim do expediente, tendo sobra de vacinas, ele se vacinou.

Essa explicação não é boa para um político, que não deve apenas ser honesto, ele precisa também parecer honesto. Um cidadão pode ir para a porta de um posto de saúde tentar um “jeitinho” para se vacinar antes da hora. Um político não. Políticos têm que seguir as regras a risca, afinal, são eles que fazem as regras.

Contudo, apesar de ser uma explicação ruim, não deixa de ser uma explicação. De fato, várias reportagens têm mostrado que situações como esta realmente acontecem e, a princípio, não implicam nenhuma irregularidade.

Contudo, o deputado não se limitou a dizer isso.

Ele disse, lembremos, que era proprietário de um imóvel em Betim. Existem aí dois problemas: o primeiro é que o eleitor brasileiro é bastante bairrista e não gosta de votar em candidatos a prefeito que morem em outro município, mesmo que a legislação permita. E apesar de Irineu ser um deputado estadual, ele é um político de Contagem, não de Betim.

O segundo problema é que o político não informou, em nenhuma declaração à justiça eleitoral ou ao imposto de renda, que ele era dono de um imóvel em Betim.

Nas últimas eleições o deputado foi candidato a prefeito de Contagem e não informou que era dono de um imóvel em Betim. A declaração de bens do deputado foi apresentada à justiça eleitoral no dia 03 de outubro de 2020. E não constava nenhuma propriedade em Betim.

Na declaração, o candidato disse ser dono de vários imóveis, inclusive em outras cidades. Mas não disse ser dono de imóvel em Betim. Se professor Irineu comprou esse imóvel de outubro para cá, tudo bem. Mas se ele tiver comprado o imóvel antes dessa data, pode caracterizar um ato de sonegação de bens à justiça eleitoral.

O histórico de casos parecidos no TSE mostram tolerância com esse tipo de ocorrência; sobretudo quando o candidato não é eleito. Mas, mesmo que nada aconteça, essa notícia será lembrada sempre que o deputado quiser se candidatar a um cargo majoritário.

Para esclarecer, a assessoria do deputado Irineu Inácio disse que o imóvel entrará na próxima declaração de imposto de renda do deputado.

A Prefeitura de Betim abriu um processo para investigar o caso.

Confira a nota divulgada pela assessoria e o comprovante residência do deputado em Betim, ambos publicados no instagram do deputado:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s