Para coibir o furto e a receptação de tampas de bueiros, hidrômetros e cabos de vias públicas, a Prefeitura de Contagem, em parceria com as polícias Militar e Civil, deu início, na terça-feira (04/5), à operação de fiscalização em comércios de sucatas e ferros-velhos, suspeitos de comercializarem ilegalmente estas peças.

Diversos estabelecimentos foram inspecionados na região do Industrial. Além de tampas, foram apreendidos placas de identificação, grades de piso, carrinhos de supermercados e outros tipos de materiais provenientes da comercialização ilegal. Fiscais de Postura notificaram nove estabelecimentos e interditaram seis por falta de alvará e por estarem localizados em áreas onde não são permitidas atividades de ferros-velhos.

“O furto de tampas e outras peças causa reflexos em várias áreas da cidade, podendo provocar inclusive acidentes, além de prejuízo ao erário público. Para cada tampa furtada, é necessário ser feita outra sob medida”, alertou a subsecretária de Segurança de Contagem, Daniela Tiffany.

Para ela, a ação teve papel emblemático na medida em que o município, através da integração de suas forças de segurança, demonstra ser atuante e vigilante. “É necessário deflagrar ações que possam contribuir para a redução dessas ocorrências. Além disso, o furto desses artigos alimenta outras práticas ilícitas que devem ser combatidas”, destacou.

A operação foi organizada pelo Comitê de Fiscalização do Município de Contagem (Comfisc), a partir de denúncias oriundas da Regional Industrial, onde o número de furtos de tampas de bueiros vem crescendo vertiginosamente.

De acordo com levantamento feito pela Regional, nos dois últimos meses mais de 40 tampas foram furtadas e repostas pela prefeitura. “Esse aumento motivou a operação, que deve se estender por mais dois dias. É difícil identificar os autores que cometem esse delito, por isso, é importante fiscalizar regularmente”, reiterou o coordenador do Comfisc, Levi Sampaio.

Além da Guarda Civil e dos fiscais de Postura do município, a equipe da Zoonoses também esteve presente, inspecionando as condições sanitárias dos ambientes e a existência de criadouros de transmissores de doenças.

Informações: Secom/Carol Cunha – Imagem: Secom/PMC/Janine Moraes