A prefeitura de Contagem diz que quer conhecer o perfil socioeconômico dos trabalhadores ambulantes, os tipos de produtos comercializados e subsidiará na elaboração das políticas públicas de geração de emprego e renda da Secretaria de Trabalho e Geração de Renda (SETGER). Para isso iniciou, nesta quarta-feira, dia 18, um mapeamento de todos os ambulantes da cidade.

O levantamento será realizado pelos fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SMDUH) e pelos assessores de Desenvolvimento Local da Secretaria Municipal de Governo – Segov de forma simultânea nas oito regionais da cidade.

A secretária interina de Trabalho e Geração de Renda, Viviane França, explicou qual o objetivo desta ação. “O mapeamento dos ambulantes permitirá ações de planejamento integrado e intersetorial desse segmento, que envolve principalmente a formação. Além da identificação de políticas públicas que já existem no município para incluí-los”, disse.

A diretora de Economia Popular Solidária da Secretaria de Trabalho e Renda, Mara de Castro, deu outros detalhes sobre o mapeamento, reforçando a proposta da atual gestão de trabalhar lado a lado com a população.

“O projeto de governo é de inclusão e de promover políticas de geração de renda para as pessoas que foram muito afetadas economicamente pela pandemia. Não é um governo de exclusão, que vai apenas fiscalizar, mas, sobretudo, dar suporte a esses profissionais. O mapeamento vai identificar as pessoas para ajudar a direcioná-las para as diferentes políticas públicas que oferecemos, como a Agricultura Familiar, os Centros de Referência de Assistência Social – Cras, a Economia Solidária, dentre outros, conforme as particularidades de cada um”, disse.

Mapeamento de ambulantes em Contagem

O mapeamento é realizado de forma direta nas ruas com preenchimento de formulário próprio contendo as perguntas necessárias para o cumprimento dos objetivos estabelecidos. Ou seja, não se trata de cadastro para fins de licenciamento de atividade econômica. Para tanto, no dia 16 de agosto foi realizado, no auditório da Prefeitura, um treinamento com a equipe mobilizada para o trabalho de campo conduzido pela Superintendência de Fiscalização da SMDUH e pela Diretoria de Economia Solidária da SETGER.

A sistematização dos dados ficará a cargo da Diretoria de Economia Solidária que também oferecerá cursos de qualificação profissional, empreendedorismo e manipulação de alimentos, além de orientação para a formalização, o ingresso no mercado formal de trabalho por meio do Sine ou para os pontos de comercialização da Economia Solidária, observados os critérios.