Anúncios

A prefeitura solicitou autorização à Câmara dos Vereadores para aplicar mais R$35 milhões de reais na intervenção do IGH. Esse valor será somado a outros R$15 milhões solicitados anteriormente; desta forma, a prefeitura irá investir aproximadamente R$50 milhões na quitação de dívidas do IGH para manutenção dos serviços de saúde em Contagem.

O projeto foi aprovado em primeiro turno. Mas para isso foi necessária a costura de um acordo que incluiu o compromisso de que o projeto só será colocado em votação para aprovação definitiva depois que o interventor, Eduardo Penna, compareça até à Câmara para prestar esclarecimentos aos vereadores.

Antes desse acordo, o vereador Carlin Moura chegou a pedir vistas para impedir o trâmite do projeto. Ele levantou dúvidas e indicou que estava faltando clareza da prefeitura na destinação que seria dada a esses recursos. Segundo Carlin, ele não é contra o projeto, mas os valores são vultuosos e em curto período, por isso a necessidade de mais esclarecimentos da prefeitura e dos interventores. “São R$50 milhões em três meses”, disse.

O vereador também questionou a situação ambígua que está sendo criada na relação entre a prefeitura e o IGH e os riscos dessa situação.

A líder do governo, Moara Saboia, e o presidente da Comissão de Saúde da Câmara, vereador Vinicius Faria, argumentaram favoravelmente ao projeto, informando que só após a intervenção é que a administração municipal pode constatar o caos criado pelo IGH e a necessidade urgente de ações da prefeitura para evitar prejuízos ainda maiores para a população.

A vereadora disse que o recurso não está sendo investido no IGH. Segundo ela, esses recursos são para manter a saúde funcionando em Contagem.

Segundo Mora, aprovar o projeto é um interesse da cidade e não do IGH.

Ainda durante a sessão, a líder do governo fez contato com Eduardo Penna, interventor no IGH, e agendou reunião para que a equipe de intervenção preste esclarecimentos ao poder legislativo. A reunião será realizada nesta sexta-feira.