Sem condições. Parque Gentil Diniz foi reaberto, mas estrutura de atendimento está abandonada

Anúncios

Em agosto o Parque Gentil Diniz foi reaberto para a visitação. Mas a condição de abandono é tão grande que talvez fosse melhor ter mantido o parque fechado, pelo menos até ter condições de receber a população.

Abandonado em governos anteriores e fechado desde o início da pandemia, o parque perdeu suas características. O mato tomou conta e as condições de uso foram prejudicadas. Em agosto, no processo de reabertura da cidade, a prefeitura realizou a capina do parque e limpeza de algumas áreas. Mas quem visita o parque só consegue ver abandono e estruturas precárias.

No auge de sua utilização, quando foi restaurado pela prefeita Marília Campos em 2012, o parque tinha lago, córrego, orquidário, roda de viola e servia como área de lazer e espaço para promoção da educação ambiental.

Hoje, o orquidário está completamente abandonado e sua estrutura coloca visitantes em risco.

O lago, que tinha bancos e projeto de paisagismo nas margens para receber os visitantes, perdeu a função e virou um brejo. O mato tomou conta de tudo e o espelho d’água está muito sujo e sem manutenção.

Os jardins e viveiros de mudas, que existem espalhados pelo parque, foram completamente abandonados e acumulam lixo.

No fundo do parque passa um córrego. Mas a quantidade de esgoto jogada no córrego, inclusive por canos vindos de casas vizinhas ao parque, tornam o local insalubre para qualquer visitante.

E mesmo que alguém quisesse visitar o espaço, teria riscos de passar pelas pontes de madeira que existem sobre o córrego e sobre pequenos veios de água que nascem no parque e abastecem o rio. As pequenas pontes estão sem manutenção e não garantem segurança aos usuários.

Dito assim parece exagero, mas não é. Vejam as fotos:

A prefeitura informou que sabe da situação ruim do parque, mas que “considerando a carência de espaços públicos para práticas esportivas e de lazer no município, a Prefeitura atendeu a demanda da população e decidiu reabrir as unidades”. Também informou que existe “estudos para melhorias e revitalização do espaços” e afirmou que está sendo feito um esforço com mutirões de limpeza e manutenção em todas as regionais da cidade.

Em relação aos lagos, a prefeitura informou que o longo período de estiagem inviabilizou o fluxo das duas nascentes que abastecem o local. Em nota a prefeitura indicou que com a chegada das chuvas e restauração do lago e suas margens, será possível realizar uma manutenção adequada.

O Coluna1 procurou frequentadores para dar o depoimento sobre a experiência no uso do parque, mas nas vezes em que estivemos no parque para produzir esta notícia, não encontramos nenhum frequentador. Se você quiser, conte sua experiência nos comentários.

Anúncios

História e casarão do Parque Gentil Diniz

O parque foi criado em 1991 e restaurado em 2012. Ele foi construído utilizando o sítio da família Diniz, no centro de Contagem. É uma área com 24 mil metros quadrados, com área verde preservada e um casarão histórico, datado do século XIX.

Apesar do abandono geral em que o parque se encontra, o casarão ainda está preservado. Porém o espaço está sendo subutilizado. Alguns cômodos do casarão viraram escritório administrativo e apoio para a Guarda. Nos demais cômodos não há acervo histórico e poucas orientações que permitam a educação patrimonial a partir do espaço.

Contudo, há esperanças, de acordo com a prefeitura em 2022 “será viabilizada também a retomada do programa de Educação Ambiental e Patrimonial com o uso adequado do Casarão do Parque”.

Anúncios

Esgoto no córrego do Parque Gentil Diniz

Em relação ao esgoto despejado no córrego do parque, que torna o local insalubre, a prefeitura informou que “a grande incidência de lançamentos de esgotos clandestinos por residências próximas, a Semad realiza periodicamente ações de fiscalização e autuação conjunta com vários órgãos dos governos estadual e municipal, Copasa, Instituto Estadual de Florestas (IEF) e Limpeza Urbana”. No entanto a administração municipal ressaltou que “a responsabilidade para a retirada desses lançamentos irregulares é da Copasa, que é sempre acionada para a tomada de providências”.

O Coluna1 entrou em contato com a Copasa solicitando informações e providências, mas a empresa não havia enviado resposta até o encerramento desta edição. Caso a resposta seja enviada, iremos publicar neste espaço.

Veja mais notícias de Contagem

CONTAGEM RETORNA AULAS PRESENCIAIS DE SEGUNDA A QUINTA, MAS PRESENÇA É FACULTATIVA

Anúncios

Prefeitura realizou 3 mil ações de recuperação em vias públicas entre janeiro e abril

De janeiro a abril deste ano, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (Semobs), executou 3.415 intervenções em toda a cidade, sendo 1.479 operações tapa-buraco e 1.936 ações de outros serviços, que incluem limpeza de bocas de lobos e postos de visitas, reposição de grelhas, tampas de bueiros e caixas coletoras, patrolamento (nivelamento) de vias de terra, entre outros.

Esses números foram alcançados com planejamento e readequação de orçamento. Como informado no Coluna1, o orçamento municipal elaborado para 2021 pelo governo de Alex de Freitas não contemplava os serviços de manutenção da cidade. Segundo a prefeitura, foram 39 milhões a menos que o mínimo necessário para realizar ações de “zeladoria”, como capina e tapa-buraco, por exemplo.

As regionais do Eldorado, Sede, Riacho e Ressaca foram as que mais receberam intervenções.

As intervenções contemplam trechos com o asfalto comprometido, que dificultam a mobilidade urbana; estradas vicinais (vias em terra) que estão desgastadas ou precisando de reparo emergencial para o tráfego de veículos; desobstrução dos dispositivos de drenagem pluvial que recebem água das chuvas, evitando enchentes e erosões nas redes de drenagem que comprometem as vias pavimentadas.

Atualmente, além de possuir parte de suas equipes trabalhando na Regional Nacional, para acompanhar o mutirão de limpeza urbana que ocorre na região, a Subsecretaria de Manutenção também possui várias outras demandas sendo realizadas no município, com uma programação semanal definida conjuntamente com todos os administradores regionais e equipe técnica dessa subsecretaria.

Grande parte dessas ações foram realizadas através de demandas apresentadas pelos vereadores. Algumas ações são solicitadas através da imprensa, como na #ColunaReclame aqui no Coluna1, e por outras organizações sociais.

Mas os moradores que quiserem entrar em contato direto com a prefeitura para solicitar serviços, podem fazer contato com as administrações regionais.

eja abaixo os números de telefones das regionais para consulta:

  • Regional Vargem das Flores: 3352-5886/5887
  • Regional Petrolândia: 3352-5618/5619
  • Regional Sede: 3395-9550/9551
  • Regional Nacional: 3397-1098/8988/8739
  • Regional Riacho: 3912-2020/1974
  • Regional Ressaca: 3357-1886/ (31) 98835-8354
  • Regional Industrial: 3363-6047/5573
  • Regional Eldorado: 3352-5477/3517

#ColunaReclame Moradores denunciaram abandono e pediram limpeza do córrego do Lempp

Moradores entraram em contato com o Coluna1 pedindo apoio para realização de capina e limpeza no córrego do Lempp, região do bairro Inconfidentes. Prefeitura atendeu, pelo menos em parte.

O Coluna1 foi até o local e constatou a situação de abandono do local. Além do mato alto, que já invadia as residências vizinhas, havia muito lixo no local utilizado para travessia de pedestres. Erosões provocadas pelas chuvas nas margens do córrego também era um problema. Vejas as imagens de antes:

Na rua Matilde Neves Martins, parte do asfalto já caiu e muros das construções vizinhas estão ameaçadas de cederem. Moradores do local se mostraram revoltados com a situação.

Nesta semana a prefeitura respondeu ao Coluna1 e mostrou que a limpeza do local já foi iniciada e intervenções devem ser feitas para resolver os problemas mais urgentes.

O conjunto Lempp fica no encontro das avenidas Vila Rica e Coronel Jove Soares, próximo ao Poliesportivo do Riacho. No local estão previstas intervenções viárias do projeto SIM de mobilidade e a construção de uma trincheira, chamada até o momento de “Túnel Avenida Vila Rica”.

A reportagem perguntou à prefeitura se esta intervenção está nos planos da administração municipal e quando será realizada. Mas em relação a este ponto ainda não recebemos posicionamentos. Continuaremos cobrando e aguardando posicionamentos do governo municipal.

E aí no seu bairro? Tem algum ponto precisando de socorro? Uma praça abandonada? Um buraco fazendo aniversário? Manda para nós no email contato@coluna1.com.br ou passa um whatsapp no número (31)98961-2399. Nós vamos correr atrás das respostas!

Regularização fundiária de vilas e favelas entra para lista de prioridades da prefeitura

Uma prioridade na área de habitação da atual gestão municipal em Contagem é promover a regularização fundiária de lotes e habitações, ação que possibilita o acesso ao título e garante às famílias o direito real sobre o imóvel, oferecendo segurança jurídica, redução dos conflitos fundiários e ampliação do acesso ao crédito, dentre outros.

A regularização fundiária contempla áreas ocupadas, majoritariamente, por famílias de baixa renda, que vivem em núcleos urbanos informais classificados como de interesse social. Nesse contexto, portanto, não são incluídas casas localizadas em áreas não passíveis de regularização ou de risco.

“Em Contagem, há 10 conjuntos habitacionais cujas famílias ainda não receberam o registro. E sabemos que só é dono quem tem o registro do imóvel. É algo que vai acontecer, sendo, inclusive, motivo de plataforma de governo. Temos feito reuniões constantes, discutido isso com outras pastas, haja vista uma burocracia enorme quanto à aprovação, cartório, até a entrega do documento final”, destaca a subsecretária de Habitação, Tânia Maria Ferreira. “Com a pandemia, houve uma diminuição no ritmo em diversos órgãos necessários para esse fim, mas estamos nos esforçando para buscar a agilização dos processos”, completa.

A subsecretária afirma, ainda, que o governo tem discutido também a questão dos Núcleos Urbanos Informais (NUI). “Quando tratamos de uma regularização, é necessário discutir uma série de assuntos, muito além da moradia. Analisamos o acesso, possibilidade de trabalhos, mobilidade, água, esgoto e trabalhamos tudo isso, também, em conjunto. Além dos 10 conjuntos, estamos debatendo sobre as Vilas 18ª (Aberbal Lopes, Regional Sede) Oitava e Riachinho, questões que já estão em andamento, inclusive com a participação do Ministério Público”, conta.

Uma reunião remota está marcada esta quarta-feira (7/4) para discutir a questão fundiária em Contagem. Algumas diretrizes deverão ser alinhadas em busca da agilização de processos de registros de imóveis em Contagem. “É um desejo nosso que essas pessoas tenham a posse de seus imóveis. Estimamos, hoje, em 1100 famílias que aguardam, ansiosas, por isso. E vai acontecer”, finaliza Tânia Ferreira.

Fonte: PMC/JoãoVitorViana

Prefeita realiza reunião com Ministério Público para tratar do Rodoanel

A Prefeita de Contagem, Marília Campos, se reuniu nesta segunda-feira (29/3) com o promotor de Justiça, Leonardo Barreto Moreira, a procuradora-Geral, Sarah Campos, e o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Isnard Horta.

No encontro, que aconteceu de forma remota, foram tratadas questões sobre a construção do Rodoanel e os impactos ambientais que poderão acontecer com a criação da nova via destinada, principalmente, ao transporte de cargas.

Marília Campos demonstrou preocupação com o traçado proposto no projeto, que, segundo ela, poderá afetar a bacia hidrográfica da cidade e a Área de Proteção Ambiental – APA Vargem das Flores. “Acredito que deveríamos apresentar uma nova proposta de traçado que não impactasse a região”, disse.

A prefeita ressaltou a necessidade de estudos de impactos ambientais do Rodoanel, na região de Vargem das Flores.

De acordo com o secretário Isnard Horta, a diretriz do Estado define, que ao longo do futuro Rodoanel, uma faixa de aproximadamente 150 metros de largura será declarada de utilidade pública, para fins de desapropriação. Assim, a concessionária que vai administrar o Rodoanel poderá desenvolver projetos de engenharia na rodovia.

“O projeto prevê passar o Rodoanel entre a represa de Vargem das Flores e o bairro Tupã. Mas acredito que seria melhor a rodovia passar por fora da Bacia de Várzea das Flores”, enfatizou.

A procuradora Sarah Campos ressaltou a existência de liminar em vigor, oriunda de uma Ação Civil Pública que questiona o novo Plano Diretor aprovado em 2018, impedindo a autorização de novos empreendimentos imobiliários na Área de Proteção Ambiental (APA Vargem das Flores).

A Procuradora-Geral também informou a existência de Decreto Municipal editado em janeiro de 2021, suspendendo a tramitação de parcelamento do solo e empreendimentos de impacto na região, para avaliação da repercussão ambiental.

Questionamentos e solicitações

A prefeita Marília Campos lembrou que a construção do Rodoanel será financiada com recursos do acordo firmado entre o governo do Estado e a mineradora Vale. Seria uma forma de compensação dos danos causados pela empresa na tragédia do rompimento da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

O promotor Leonardo Barreto solicitou um relatório detalhado das principais preocupações do governo municipal com a questão ambiental e a construção do Rodoanel. Segundo ele, esse documento poderá nortear o caminho jurídico a ser seguido para resguardar a APA de Vargem das Flores.

“Já sabemos que a audiência pública realizada no dia 26 de março foi alvo de reclamações da sociedade civil que alega não ter tido espaço nas discussões. Precisamos conhecer as demais questões levantadas”, disse o promotor, que sugeriu ficar em contato constante com a gestão municipal.

A prefeita solicitou ao secretário Isnard Horta que providencie um relatório contendo informações sobre os impactos ambientais que o Rodoanel pode causar na região de Vargem das Flores e outras demandas acerca do assunto.

Já a procuradora Sarah Campos disse da importância do diálogo institucional para o desenvolvimento urbano da cidade de forma sustentável. Na ocasião, o promotor se colocou à disposição do município para tratar dos assuntos levantados e a prefeita agradeceu a disponibilidade do representante do Ministério Público (MP).

com informações PMC/RobsonMoreira Foto: PMC/EliasRamos

Camelódromo deve permanecer no mesmo local, após inclusão no projeto do Boulevard Portugal

Nesta segunda-feira (15/3), representantes da Prefeitura de Contagem, por meio da Administração Regional Eldorado, se reuniram com a categoria para reafirmar o compromisso de que o camelódromo deverá ser incluído no projeto urbanístico do Boulevard Portugal.  Em fase de elaboração pela Secretaria de Obras (Semobs), o projeto em breve será apresentado e discutido com a comissão formada pelos comerciantes do camelódromo e representantes do Executivo.

Inclusive, a Semobs reitera que a paralisação das obras ocorre justamente, pela intenção da Prefeitura em manter o camelódromo no projeto do Boulevard Portugal ,  garantindo a permanência da atividade econômica na região. “As obras prosseguirão após a conclusão do processo de discussão sobre a inclusão do camelódromo ao projeto do complexo” adiantou o secretário de Obras, Marcos Túlio Melo.

Para o  representante da Associação do Camelódromo, Jefferson Pereira dos Reis, a iniciativa do executivo em manter o diálogo com categoria, tranquiliza as famílias que sobrevivem do camelô na região. “São mais de 30 anos de atividades e geração de empregos.  Muitos comerciantes já idosos que estão ali desde o início. Sem dúvida é uma demonstração de compromisso do município com as famílias”, afirmou.

Segundo Reis, o camelódromo emprega cerca de mil trabalhadores diretos e dois mil indiretos. Ao todo são 206 barracas que ofertam serviços de conserto, comércio de eletrônicos e utilidades para o lar, vestuário, dentre outros.

Boulevard

A construção do Boulervard, localizado na Avenida Portugal, na Regional Eldorado, consiste na implantação de praças temáticas, travessia de pedestres e espaços de lazer com equipamentos de ginástica, paisagismo e plantio de árvores ao longo da ruas Portugal e Bélgica.  A obra faz parte do projeto de requalificação e mobilidade urbana da avenida João César de Oliveira.

informações: PMC/BrunaAlessandra

#ColunaReclame Prefeitura atende pedido da população e tampa buraco na Avenida Juscelino Kubitschek, no industrial

Anúncios

Moradores reclamaram de um buraco na Avenida Juscelino Kubitschek, no bairro industrial. As chuvas intensas de fevereiro aumentaram o buraco e o problema. Eles mandaram para a #ColunaReclame e nós encaminhamos para a prefeitura.

Em resposta a prefeitura agendou o reparo da via para terça-feira, dia 23. Nós voltamos ao local nesta quarta-feira e constatamos: a prefeitura cumpriu a promessa. O buraco foi tampado.

O buraco estava localizado junto ao quebra-molas e era um risco para os motoristas, especialmente para os motociclistas. Nós fomos até o local antes para filmar a situação.

A prefeitura está atenta para atender as demandas da população e o Coluna1 também!

E você tem um problema? Um buraco? Uma praça mal cuidada? Manda para nós, no #ColunaReclame. A gente vai procurar os responsáveis e buscar uma solução!

ANTES
DEPOIS

João César ficará fechada entre o Big Shopping e o Hospital Santa Helena durante todo domingo

O trecho da Avenida João César, no Eldorado, próximo ao TRE, ficará fechado das 6h até as 20h deste domingo, dia 15, por causa das eleições municipais.

A Transcon informou que o trecho do cruzamento da avenida com a Rua Mário Vital até o Hospital Santa Helena, no sentido Centro de Contagem, ficará fechado para uso exclusivo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG).

O trânsito de veículos será permitido para o acesso local ao Big Shopping. Para seguir caminho na Avenida João César de Oliveira, os condutores deverão pegar o desvio à direita na Avenida Olímpio Garcia e depois seguir à esquerda na Avenida José Faria da Rocha.

Faixas indicativas serão instaladas no local. Agentes de trânsito realizarão rotas para monitorar a região.