Governo abre 3,5 mil vagas em cursos de qualificação profissional em parceria com o Senac. Clique e veja quais são os cursos

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/MG), lança, nesta segunda-feira (18/10), os editais de seleção de beneficiários para os cursos de qualificação profissional oferecidos pelos projetos Empreenda Jovem, Minas Programando e Trajeto Renda. 

As inscrições para os cursos são gratuitas e ficarão abertas até o dia 2/11/2021, por meio de formulário eletrônico disponibilizado nos links abaixo. Serão disponibilizadas 3,5 mil vagas em cursos profissionalizantes – carga horária de 20 a 240 horas, em várias regiões do estado, nas modalidades de ensino presencial e remoto.

Empreenda Jovem

O Empreenda Jovem busca, por meio de cursos de qualificação com foco no mercado de trabalho, atender a jovens de 18 a 29 anos com o intuito de reduzir as vulnerabilidades e o risco social. A ideia é ampliar oportunidades de inclusão produtiva e geração de renda, preparando este público para o desenvolvimento de novos negócios.

Os cursos de qualificação profissional oferecidos na modalidade de ensino remoto são:

• Assistente Administrativo
• Assistente de Logística
• Comprador
• E-Commerce
• Estoquista
• Promotor de Vendas 
• Representante Comercial
• Vendedor
• Web Designer

Confira neste link o edital do Projeto Empreenda Jovem.

Acesse o formulário de pré-inscrição para participar da seleção.

Saiba mais aqui

Minas Programando

Já o Minas Programando busca atender a demanda do segmento de Tecnologia da Informação (TI) por meio da qualificação profissional dos mineiros e do fomento de uma maior participação de mulheres na área. 

O objetivo é promover a inclusão digital e produtiva de públicos vulneráveis atendidos pela Sedese.  Os cursos do Senac contemplam o desenvolvimento de competências e habilidades socioemocionais orientadas para o desenvolvimento do indivíduo, além de mentoria e seminários.

Cursos de qualificação profissional que serão oferecidos na modalidade de ensino remoto: 

• Administrador de Redes
• Desenvolvedor de Jogos Eletrônicos
• Operador de Computador
• Programador Web
• Programador de Sistemas

Confira aqui o edital para o Projeto Minas Programando.

Acesse o formulário de pré-inscrição para participar da seleção.

Saiba mais aqui.

Trajeto Renda

Também o Trajeto Renda busca promover a formação profissional que incentive o trabalho e a geração de renda por meio de aulas presenciais nas unidades do Senac. Podem participar do programa pessoas em situação de vulnerabilidade social e baixa renda em 14 cidades nas regiões de Diamantina, Governador Valadares e Ipatinga.

 Cursos de qualificação profissional a serem oferecidos na modalidade presencial:

• Assistente Administrativo
• Empreendedorismo e Negócios Inovadores
• Marketing na Web
• Vendedor

Confira neste link o edital do Projeto Trajeto Renda.

Acesse o formulário de pré-inscrição para participar da seleção

Saiba mais aqui 

Minas Gerais é o Estado mais seguro do país, de acordo com dados do Ministério da Justiça

Anúncios

Minas Gerais é o Estado mais seguro do país em 2021, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), referentes aos meses de janeiro a maio. A base de informações agrega estatísticas disponibilizadas pelas 27 unidades federativas brasileiras e tem, por finalidade, subsidiar a implementação de políticas públicas em segurança e defesa social. Nos três últimos anos, Minas passou de terceiro colocado no ranqueamento, em 2019, para segundo, em 2020, até alcançar a primeira colocação nos primeiros meses de 2021. 

“O resultado é fruto de um trabalho integrado das Forças de Segurança. Um estado mais seguro significa, principalmente, um lugar melhor para se viver e com melhores perspectivas para os mineiros. O investidor também tem mais confiança para empreender aqui, gerando emprego e renda para a população”, afirma o governador Romeu Zema.

O Sinesp acompanha as taxas de violência de nove naturezas criminais. São elas: latrocínio, homicídio consumado, estupro consumado, roubo de carga, roubo a veículo, roubo a instituições financeiras, lesão corporal seguida de morte, homicídio tentado e furto de veículo. A base é alimentada por todos os Estados da nação, com registros de ocorrências lavrados pelas forças de segurança atuantes em cada localidade.

O ranking liderado por Minas Gerais neste ano avalia as menores taxas de incidência criminal: ou seja, o somatório de ocorrências registradas, de forma proporcional à população estadual, conforme a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o período analisado, multiplicando o resultado por cem mil. Nos casos de furto e roubo a veículos, são calculados os registros proporcionalmente à frota inscrita no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Não há atribuição de peso entre os diferentes crimes observados.

Taxa de criminalidade 

Segundo o cálculo, Minas tinha, em 2016, uma taxa de criminalidade de 474,03 por 100 mil habitantes, ocupando o sétimo lugar no ranqueamento nacional. No mesmo período, a taxa nacional equivalente era de 668,49. Em 2019, ao atingir o terceiro lugar no pódio de Segurança Pública, o estado apresentava uma taxa de 260,96 por 100 mil habitantes, enquanto o coeficiente brasileiro era de 358,51. E, finalmente, nos cinco primeiros meses de 2021, a taxa mineira é de 73,17, sendo a proporção em todo o Brasil de 145,04.

Metodologia

O banco de dados do MJSP considera, como último consolidado, o período de três meses anteriores à publicação, que, normalmente, ocorre após o 15º dia corrido. O intervalo é justificado como necessário para que as respectivas pastas de Segurança Pública e Defesa Social de todas as unidades federativas possam coletar, tratar e validar as estatísticas antes de submetê-las à base nacional.

Vale ressaltar que os dados podem apresentar diferenças para outras análises. O Observatório de Segurança Pública da Sejusp, por exemplo, compila e disponibiliza à imprensa, na seção “Dados Abertos” do site, ou sob demanda, as estatísticas mensalmente – via de regra, na segunda quinzena do mês posterior ao balanço mais recente.

Governador anuncia escala de pagamento de abril e, finalmente, quita 13º de todos os servidores

O governador Romeu Zema anunciou, nesta quarta-feira (31/3), a escala de pagamento do mês de abril, referente a março de 2021. Mesmo com todas as dificuldades financeiras e os impactos causados pela pandemia, o Governo de Minas mantém o compromisso de quitar o salário dos servidores dentro do mês.

A primeira parcela dos salários, no valor de R$ 2 mil, será paga no dia 9/4, juntamente com o restante do 13º daqueles servidores que ainda não tiveram o abono quitado. A segunda parcela do salário será paga no dia 20/4.

Os servidores das áreas de Saúde e Segurança Pública receberão integralmente na data da primeira parcela, conforme os critérios já adotados no Estado.

“Continuamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para que o funcionalismo púbico volte a receber o salário em dia. Essa é uma gestão focada na eficiência e comprometida em solucionar os graves problemas financeiros herdados pelo Estado”, gatantiu o governador.

13º salário

Em abril, 100% do funcionalismo público terá recebido integralmente o abono natalino de 2020. A primeira parcela do benefício, no valor de R$ 2 mil, foi paga no dia 23 de dezembro para todos os servidores. Nos últimos anos, nenhuma parcela de 13º havia sido paga no ano vigente para todo o funcionalismo. Nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021 também foram depositadas parcelas de R$ 2 mil.

Em 2020, o pagamento do 13º salário referente a 2019 foi quitado em maio. Já o pagamento de 2018 foi concluído em outubro de 2019.

Corpo de Bombeiros diz que 24% dos postos de combustíveis não cumprem regras contra incêndio

Operação Alerta Vermelho do Corpo de Bombeiros realizou fiscalização em 1400 postos de combustíveis em Minas Gerais. Desses, aproximadamente 24% não cumpriam as regras básicas de prevenção de incêndio e pânico.

A situação não é novidade e coloca em risco clientes, trabalhadores e pessoas que ficam próximas a estes estabelecimentos. Em abril desse ano um acidente desse tipo ocorreu em Juiz de Fora. Um carro que chegou para abastecer soltou faíscas e deu início ao incêndio que destruiu parte do posto e veículos que estavam no local. Felizmente, nenhuma pessoa se feriu.

Outro acidente em agosto, só que na Rússia, causou uma explosão impressionante. Um tanque começou a pegar fogo. Os bombeiros não conseguiram conter as chamas a tempo e o posto explodiu. Treze pessoas ficaram feridas.

Cultura de autoproteção

A atividade busca estimular a cultura de prevenção e autoproteção, além de promover a segurança contra incêndio e pânico. A Operação Alerta Vermelho mostra que boa parte das edificações de risco tem seguido rigorosamente as normas de segurança, o que torna esses ambientes mais protegidos para a população. 

Já os estabelecimentos irregulares serão acompanhados de perto pelo CBMMG, a fim de que se adequem e compreendam a necessidade de um comportamento preventivo e responsável por um estado mais seguro.

Histórico 

Em 2019, foram realizadas seis etapas da Operação Alerta Vermelho, com 8.509 vistorias em estabelecimentos de todas as regiões de Minas Gerais. Deste total, 3.308 locais estavam regulares e outros 5.320 apresentavam falhas ou estavam irregulares. Estiveram envolvidas 1,2 mil equipes, com cerca de 3,5 mil militares. 

Foram vistoriados hospitais e clínicas, edificações de baixo risco, escolas e pré-escolas, hotéis e assemelhados, postos e centrais de distribuição, além de presídios e centros socioeducativos.