Obras para impedir desmoronamento na encosta da Capela Santa Helena avançam. Alívio para a população

Anúncios

A Prefeitura de Contagem está realizando, por meio da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos – Semobs, as obras de estabilização da encosta no entorno da Capela de Santa Helena e ao redor do campo de futebol da rua Formosa, na Regional Sede. O projeto da intervenção foi revisado recentemente e a obra avança, seguindo o cronograma, apesar das chuvas recentes que afetaram o andamento das atividades.

O Coluna1 esteve no local em fevereiro desse ano e mostrou a situação do local que ameaçava cair a qualquer chuva.

CLIQUE E VEJA COMO ERA

A obra no entorno da Capela está sendo executada para evitar risco de deslizamento de terra sobre a igreja e residências próximas ao local, minimizando o impacto das chuvas. O risco geológico no entorno da Capela é considerado alto, sendo possível identificar as marcas de escorregamento de terra. Por isso, a obra foi projetada com um tipo de contenção totalmente seguro e de acordo com as demandas geológicas do local.

De acordo com o subsecretário de Obras, Jaci Cota Teixeira, “a tecnologia de engenharia utilizada no local é a de contenção em gabião e solo grampeado verde, que oferecem estabilidade a encosta, evitando escorregamentos de terra causados por fortes chuvas. Após a execução do muro em gabião, será feito o aterro, visando a edificação de uma contenção para dar estabilidade a encosta”, explicou.

Segundo ele, até o momento, já foram finalizados um dos muros de contenção e feito o plantio de grama. “Já as contenções na rua Formosa vão evitar novos deslizamentos de terra. Assim, poderemos reabrir a rua para o tráfego de veículos novamente”, disse.

Anúncios

De acordo com o administrador da Regional Sede, Lindomar Diamantino, a conclusão da obra é muito esperada pela comunidade da região. “A obra, além de trazer a recuperação física do entorno da Capela, está trazendo também segurança para a igreja que foi tombada, um patrimônio histórico, religioso e cultural. Será muito importante também, a liberação da rua Formosa, uma via fundamental, que liga vários bairros da região”, disse.

O valor investido para realização da obra é de R$1,5 milhões. Os recursos são oriundos do Ministério do Desenvolvimento Regional, como parte do programa de socorro emergencial aos municípios e estados mais afetados pelas chuvas no verão de 2020. 

Com informações PMC/AdrianaBorges Foto: Semobs/PMC

Viaduto será construído para resolver problema do trânsito no encontro da Via Expressa com Avenida Helena de Vasconcellos, próximo ao aterro

Anúncios

Formado por duas importantes vias de transporte de bens e consumo, o cruzamento da avenida Helena de Vasconcelos Costa com a Via Expressa, é conhecido pela intensa movimentação e constantes congestionamentos. Cerca de 80 mil veículos trafegam diariamente pelo local, que faz a ligação de Contagem com a BR-040 e o anel rodoviário em Belo Horizonte. Quem passa pelo local é obrigado a conviver com engarrafamentos constantes.

Para dar mais conforto, segurança e agilidade no trânsito, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos, iniciou nesta segunda-feira (25/10) as obras do viaduto sobre a avenida Helena de Vasconcelos Costa. As intervenções vão impactar diretamente na mobilidade do município e da região metropolitana, pois o trecho é um dos principais pontos de integração entre Contagem, Betim e Belo Horizonte. Cerca de 150 empregos serão gerados com as obras.

Em visita às obras, a prefeita de Contagem, Marília Campos, explicou que o novo viaduto vai resolver o problema de circulação no entroncamento das vias. “O tráfego pesado dessa região exige que façamos uma grande intervenção para garantir mais tranquilidade no trânsito. Por isso, iniciamos essas obras de construção de um grande viaduto que irá acabar com essa dor de cabeça que temos aqui constantemente”, afirmou.

O secretário de Obras e Serviços Urbanos, Marcos Túlio de Melo, ressaltou os benefícios das intervenções para a população. “Essas obras vão dar solução a um grave problema de mobilidade que existe nessa região. Além do viaduto que vai transpor a avenida, vamos eliminar o retorno existe no canteiro central no sentido Belo Horizonte. Com isso, diminuiremos significativamente os congestionamentos e daremos mais fluidez e segurança aos usuários das vias”, enfatizou.

Para a realização do empreendimento, a Prefeitura investiu aproximadamente R$ 30 milhões, financiados pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina, também conhecido como Corporação Andina de Fomento (CAF). A previsão é que as intervenções sejam concluídas no segundo semestre de 2022.

Com informações PMC/YuriSoares Imagem: PMC/JanineMoraes
Anúncios

Prefeitura dialoga com moradores e comerciantes do Eldorado e apresenta melhorias no projeto do Boulevard Portugal

Anúncios

A Prefeitura reuniu moradores e comerciantes do Eldorado na noite de terça-feira (5/10), para apresentar o projeto das obras e a importância da construção do Boulevard Portugal. 

Durante o encontro, o Executivo lembrou que o Boulevard é uma área de bem-estar, composta por três praças (praças Cívica, de Festas e da Paz), área de eventos, mirante, espelho d’água, coreto, anfiteatro, esculturas e monumentos, playground, academia da cidade, área de convivência, paisagismo e ciclovia.

Atendendo aos pedidos dos comerciantes, ele foi adaptado e terá a inclusão de um espaço multiuso público para abrigar o novo Camelódromo, que continuará funcionando no mesmo ponto.

“É um grande empreendimento, que vai ser um espaço de encontro para as pessoas. Será um cartão-postal da cidade, que vai fortalecer a atividade daqueles que têm comércio na avenida João César de Oliveira e na região Eldorado.  Sem dúvida, vai ser uma grande referência de equipamento público para a Região Metropolitana de BH. O Boulevard é bonito, é moderno. Ele permite o convívio de várias gerações e é isso que nós vamos fazer”, afirmou a chefe do Executivo, Marília Campos.

A equipe de arquitetas da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos – Semobs apresentou o projeto, com estudos, fotos e projeções em vídeo do Boulevard, a cerca de 70 moradores e comerciantes da região, que puderam manifestar a opinião deles sobre a proposta. Ao fim do encontro, foi montada uma comissão com dez pessoas, sendo cinco residentes do Eldorado e cinco trabalhadores e trabalhadoras do Camelódromo. O grupo irá acompanhar de perto o andamento das obras.

Um dos integrantes da comissão é o estudante da graduação em Engenharia de Mobilidade da UFMG, Diogo Paiva, de 19 anos. O universitário declarou que o Boulevard irá beneficiar o transporte, o comércio e a população em geral. “É um projeto de futuro, e tem 99,9% de chances de dar certo. Eu, como morador do Eldorado, e sendo minha área profissional de atuação, quis participar da comissão. Quero contribuir, sugerindo o acréscimo de mais árvores, para ficar um lugar mais bonito, mais verde. Esse é um projeto que terei orgulho de dizer que eu ajudei. Eu participei!”, afirmou.

O servidor público Agnelo de Paiva, de 46 anos, morador do Eldorado há mais de dez anos, afirmou que o Boulevard deixará um legado à população. “Os moradores vão ter um lugar e a cidade vai ter uma identidade. A Prefeitura está fazendo um governo participativo, de tal forma que a comunidade está fazendo parte do processo. Quando a gente faz as coisas, participa do processo, a gente cria uma sensação de pertencimento”, disse.

A reunião acontece após pedido de moradores para acompanhar mais de perto o planejamento e a execução de algumas obras em Contagem, como por exemplo a pista de skate que está sendo construída na Avenida Teleférico. Os praticantes do esporte reclamavam que a pista que estava sendo construída não atendia aos requisitos do esporte e seria inútil para a prática do skate. Após reclamações, a prefeitura realizou uma reunião com moradores e skatistas para debater mudanças no projeto.

No projeto do Boulevard Portugal, a prefeitura tem mantido um contato mais próximo com os moradores e comerciantes, sobretudo por causa do impacto das obras no camelódromo da cidade.

Camelódromo

A grande conquista do projeto, construído por meio do diálogo com moradores e comerciantes da região, foi a inclusão do Camelódromo, buscando o fortalecimento econômico local. A inclusão da área comercial era uma demanda dos representantes da feira, que foi atendida pela Prefeitura. Ao todo, serão 206 boxes, mesmo número da estrutura atual, contando ainda com salas de administração e reunião e banheiros.

A proposta que incorpora todos os trabalhadores e trabalhadoras à nova praça permite que continuem no local, fomentando a geração de renda para cerca de 500 famílias, direta e indiretamente, que dependem do Camelódromo. 

O comerciante Alexandre Magno de Paula afirmou que acompanha de perto a construção do espaço, porque acredita na importância do diálogo. “Tudo pode ser dialogado. A gente está sentando novamente com a Prefeitura e buscando o diálogo. Acredito que vai ser possível chegar em consenso, porque a gente tá aberto a isso”, declarou. 

O administrador da Regional Eldorado, Gil Martins, lembrou que a construção do Boulevard resultará na requalificação urbana da área, o que representará a atração de mais pessoas para o centro comercial, potencializando a economia local. “Nosso encontro de hoje permite que a comunidade tenha mais um espaço de informação sobre o que a Prefeitura está fazendo e sobre qual é a importância dessa intervenção para a cidade, não só para o território do Eldorado. É um projeto que vai potencializar a economia local, que hoje é marcada por prestação de serviço e comércio”, disse.

Obras 

A construção do Boulevard Portugal segue em execução pela Prefeitura de Contagem. Como parte da nova etapa das intervenções, a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos – Semobs reabriu parte da rua Portugal, no encontro com a avenida José Faria da Rocha, no Eldorado, há duas semanas. A via foi recapeada, oferecendo mais segurança, conforto e qualidade de tráfego para os cidadãos. Assim, o trecho da rua foi reaberto para circulação de veículos. Ele estava fechado devido às intervenções na região. 

O Boulevard Portugal está localizado na rua Portugal, entre as interseções da avenida João César de Oliveira com a avenida José Faria da Rocha. Após a revitalização, a região estará readaptada e transformada em um ponto turístico de uso e ocupação dos moradores e moradoras, além dos visitantes. O local também sofrerá mudanças no trânsito, melhorando a circulação de veículos na região.

fonte: AndersonRocha/PMC – foto: LuciSallum/PMC
Anúncios

Prefeitura forma Comissão de Acompanhamento de Obras com skatistas para adequação da pista de skate na avenida Teleférico

Anúncios

Skatistas de Contagem estavam reclamando que a prefeitura estava construindo uma pista de skate, no bairro Água Branca, que não serviria para a prática do esporte. Eles afirmaram que a prefeitura não consultou os praticantes do esporte na cidade e por isso estava investindo em uma obra que, no fim, seria inútil.

Na semana passada o tema chegou à Câmara dos Vereadores, através dos vereadores Bruno Barreiro e Ronaldo Babão. O tema foi discutido foram projetados vídeos gravados pelos skatistas denunciando a situação. O caso chegou a fazer parte de uma reportagem do Coluna1 tratando das obras no Bairro Água Branca.

No último sábado, dia 02, a prefeitura chamou os skatistas para uma reunião e montou uma comissão para acompanhar as obras.

De acordo com a prefeitura, a reunião teve o objetivo de ouvir a comunidade e as demandas dos praticantes de skate do bairro Água Branca, a Prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos – Semobs. A primeira reunião da Comissão de Acompanhamento de Obras, com cinco skatistas da região, se reúne com técnicos da Semobs nesta segunda-feira (4/10).

A prefeita Marília Campos participou da reunião e reiterou a importância da obra e da ocupação da cidade, de forma saudável, incentivando a prática de esportes. “É muito importante ouvir toda a comunidade e, principalmente, os skatistas que vão frequentar o espaço, que se não for utilizado, não tem sentido. Os jovens devem se apropriar da cidade e usufruir dela. Estamos abertos para ouvi-los e buscar fazer as adequações que forem possíveis”.

Também participou do encontro, o secretário de Obras e Serviços Urbanos, Marcos Túlio de Melo, que falou sobre a importância da participação popular. “Aproveitando este momento de reflexão, da realização das pré-conferências de Política Urbana, aqui nós temos um exemplo claro de participação e inclusão da população. Queremos ouvir as demandas dos moradores e realizar um trabalho que atenda à comunidade”, afirmou

A moradora do bairro, instrutora de skate e medalhista na categoria, Janaina Renata de Almeida, considerou a reunião um marco na cidade. “A Prefeitura ouviu os skatistas com uma abertura que nunca experimentamos antes. Ficamos muito felizes em dialogar. Esperamos ter um consenso e uma adequação necessária da pista, para que todos possam usufruir do espaço com qualidade”, avaliou.

O engenheiro civil, João Bruno Cardoso Amaral, membro da comissão de skatistas, achou a reunião positiva. “Ficamos satisfeitos com a disponibilidade dos representantes da Prefeitura em conversar com a gente. Agora nós temos mais esperança de que vai ser possível uma adequação da obra”.

Com informações PMC/AdrianaBorges – Imagens PMC/NewtonResende
Anúncios
Anúncios

Poste no meio da Avenida Teleférico só deve ser retirado em outubro, diz a prefeitura

Anúncios

Um poste ficou esquecido para trás durante a realização das obras na Avenida Teleférico, no Bairro Água Branca. Mas, segundo a prefeitura, ele deve permanecer lá durante algum tempo.

O poste ficou no meio do caminho por causa das intervenções para alargar a pista, o que retirou parte do canteiro central e deixou o poste no meio do caminho.

O problema é que esta intervenção foi feita antes da Cemig fazer sua retirada. A mudança do local do poste está prevista apenas para outubro.

Mas, mesmo com o poste no meio do caminho, a prefeitura disse que irá liberar o trânsito para o tráfego normal de veículos nas próximas semanas.

“Aguarda-se no momento a execução da remoção pela Cemig prevista para o final do mês de Outubro. O poste que está na pista próximo ao passeio não impedirá a abertura ao tráfego que ocorrerá na primeira semana de outubro”, disse a prefeitura.

Obras eternas na Avenida Teleférico incomodam moradores e eles cobram respostas da prefeitura

Anúncios

A reportagem do Couna1 foi até o bairro Água Branca para ouvir os moradores sobre como é morar em um canteiro de obras.

De acordo com moradores, a obra tem prejudicado o trânsito e causado transtornos para a população do bairro, que pede clareza da prefeitura sobre o que está sendo feito e qual o prazo para conclusão das intervenções.

Questionamentos foram enviados para a prefeitura e a administração divulgou uma reportagem respondendo parte dessas perguntas.

De acordo com a prefeitura, as obras no bairro Água Branca fazem parte da criação do Corredor Ressaca e já custaram R$25 milhões.

No total, devem ser gastos R$41 milhões neste projeto, incluindo a construção do terminal Ressaca, que está pronto, mas não está sendo utilizado. O valor inclui também o viaduto sobre a BR-040, na Avenida Teleférico, cujas obras estão paralisadas.

Ainda segundo a prefeitura, as obras na avenida Teleférico começaram em março de 2021 e devem terminar em novembro de 2021. Moradores questionam.

Segundo a população local, as intervenções no canteiro central da via têm se arrastado há alguns anos. De acordo com Marcelino Rodrigues, que mora na Avenida, os moradores enfrentam incertezas. “É um ‘começa e larga’ danado. Aqui em frente ficou entulho jogado durante quase um mês. Falta continuidade”, diz ele.

A opinião é a mesma do morador Cláudio Gomes, que caracteriza as obras como “obras permanentes”. Gomes ainda destaca que “sem a duplicação do viaduto sobre a Via Expressa, não adianta fazer essa obra aqui. Vai criar um funil e vai aumentar ainda mais os engarrafamentos dentro do bairro”, disse ele.

De acordo com o site da prefeitura, a ordem de serviço para início das obras na Avenida Teleférico foi assinado em outubro de 2019.

Em outubro de 2020 foram içadas as vigas sobre o viaduto da 040, cuja obra já incluía intervenções na Avenida Teleférico e PioXII, que demonstram que já havia obras no local antes de março de 2021, conforme informado pela prefeitura.

Canteiro central da Avenida Teleférico é problema antigo

‘Uma das questões que mais incomoda os moradores é o canteiro central. De acordo com a população do local, não há muita clareza sobre o quê e quando as mudanças serão feitas.

Segundo a prefeitura, as intervenções no canteiro central da Avenida deve os espaços de convivência do local devem ser recuperados e novas instalações devem ser liberadas para a população, como a pista de skate que está sendo construída. Contudo, há problemas inclusive nesta nova pista.

Na reunião dos vereadores realizada hoje, dia 28, os vereadores Bruno Barreiro e Ronaldo Babão trouxeram queixas de skatistas da cidade que afirmam que a pista de skate será inútil para a prática do esporte se for feita do jeito que sendo construída. Segundo eles, “não há espaço suficiente entre os obstáculos e a pista não oferece a altura e nem a velocidade adequada para os skatistas praticarem o esporte”.

Desvios ruins e confusão no trânsito do Água Branca

Com as várias intervenções na Avenida Teleférico, muitas ruas do bairro Água Branca estão sendo utilizadas como desvios, causando vários desgastes na pavimentação das vias.

A prefeitura informou que um aditivo contratual prevê atuação em duas ruas próximas, que são as ruas dos Emboabas e Sirval Alves da Cunha. Porém, outras ruas do bairro não pertencem ao escopo da obra.

Nestes casos, os moradores devem entrar em contato com a administração regional local. Eles encaminharão a solicitação a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, que vistoriará o local e identificará a necessidade de obras (quais soluções de engenharia serão tomadas de acordo com cada problema).

Um dos problemas de trânsito relatados é o primeiro retorno criado na Avenida Teleférico (sentido bairro), que está fechado em um dos sentidos. Desta forma, tanto os motoristas que fazem o retorno sentido bairro quanto os que fazem retorno sentido via expressa estão utilizando o mesmo espaço.

Isso aumenta o risco de acidentes com veículos e pedestres que utilizam o espaço.

De acordo com a prefeitura, O fechamento do retorno atende a questões de segurança para realização dos trabalhos de sinalização e implantação das passagens elevadas para pedestres. Será aberto tão logo a pista também seja liberada na primeira semana de outubro.

População do local avalia que as obras serão boas

Mesmo com críticas pontuais, a população do bairro avalia que as obras são boas para a cidade e para o bairro. Segundo eles, as obras são boas, mas precisam terminar em algum momento.

Essa também é a posição da prefeitura, que informou em divulgação que “as intervenções são muito positivas para toda a comunidade” e pensam no bem-estar da população e melhoria na qualidade de vida de pedestres, motoristas e usuários da via.

Imagem: PMC/Luci Sallum

#ColunaReclame Buraco em rua no Bairro Água Branca colocava motoristas em risco. Colocava, não coloca mais. Problema resolvido

Moradores da região do bairro Água Branca reclamavam de um buraco na Rua Vicente Lopes da Rocha, no trecho que dá acesso ao túnel de ligação com o bairro Colorado e Laguna. A reportagem do Coluna1 foi até o local, entrou em contato com a prefeitura e o problema foi resolvido.

Veja as imagens do antes e depois:

Antes

Depois

O buraco estava no meio da pista, logo após a curva. Era um buraco fundo que poderia provocar danos a veículos e acidentes com motociclistas.

O contato do Coluna1 com a prefeitura de Contagem foi realizado no dia 23 de setembro. Já no dia seguinte a prefeitura encaminhou uma equipe ao local e realizou uma operação tapa-buraco em toda extensão da rua.

Se no seu bairro tem um buraco fazendo aniversário, uma praça precisando de atenção, um esgoto vazando ou qualquer coisa que precise de atenção do poder público para resolver o problema da população, entre em contato com o Coluna1.

Entre os projetos prioritários apresentados por Zema aos deputados mineiros, apenas um incluiu diretamente Contagem

Anúncios

No final de agosto o governador Zema se reuniu com os deputados federais da bancada mineira e apresentou um “Portfólio de Projetos” para captar recursos de emendas parlamentares e investimentos para o Estado. O portfólio tem 255 projetos que somam R$3,6 bilhões e apenas um desses incluiu Contagem.

Essa ação prioritária do governo estadual para Contagem está relacionada com o PAC Arrudas e prevê “a requalificação urbana e ambiental do Ribeirão Arrudas, entre os viadutos do Barreiro e Avenida Presidente Castelo Branco(Vila São Paulo), nos municípios de Belo Horizonte e Contagem”. Essa obra inclui a reforma dos centros comercial e comunitário da região e deve custar aproximadamente R$16 milhões.

A maior parte dos projetos incluídos na planilha do governador Zema são genéricos e não atendem especificamente um município ou outro. Por exemplo, entre os projetos prioritários está a modernização de unidades e a aquisição de veículos para a Emater, empresa mineira de assistência ao produtor rural. Nestes casos, o governador deixa a escolha da unidade e a destinação dos veículos a cargo do deputado que fizer a emenda parlamentar.

Zema ressaltou que, além da captação de recursos via emendas parlamentares federais, o Governo de Minas irá oferecer até 20% de contrapartida para projetos de Saúde e Educação, e 2% para iniciativas das demais áreas temáticas. São projetos distribuídos por várias regiões mineiras nas áreas, por exemplo, de Agricultura, Cultura e Turismo, Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social, Infraestrutura, Segurança Pública, Educação, Saúde, Meio Ambiente e Planejamento e Gestão.

“As emendas parlamentares são muito importantes quando bem direcionadas. Em Minas, nós temos grandes oportunidades, porque o nosso estado se transformou em um grande cemitério de obras inacabadas. Temos excelentes oportunidades de ajudar o povo mineiro. Nós estamos fazendo um governo que está acima de qualquer bandeira, ideologia. O que nós fazemos é trabalhar unidos com a bancada de Minas para que possamos levar mais benefícios à população”, afirmou o governador.

Considerando a fala do governador, uma dessas obras que estão a cargo do Governo Estadual, mas que está abandonada é a bacia de drenagem da Rio Volga, na Avenida Firmo de Matos, no Bairro Riacho. A obra, iniciada pelo governo do Estado, foi abandonada e aguarda liberação de recursos para conclusão.

Porém, ela não foi incluída entre as prioridades para negociação para obtenção de emendas dos deputados federais.

Para acessar o portfólio completo de projetos prioritários apresentados por Zema aos deputados da bancada mineira, CLIQUE AQUI.

LEIA MAIS:

Buraco do Riacho. Estado e prefeitura não têm previsão para conclusão das obras que tinham aporte inicial de R$97 milhões

Anúncios

A mais nova promessa de ampliação do metrô deve incluir expansão da linha1, que prevê estações em Contagem

A expansão do metrô na região metropolitana de Belo Horizonte é novela. Mas não é qualquer novela, é daquelas novelas ruins, lentas, que nada acontece e o expectador muda de canal antes de saber o final. São mais de 30 anos enrolando a população da região. Nesta quarta-feira o governo Zema anunciou mais um capítulo dessa novela.

O governo estadual confirmou acordo com a união para ampliar o metrô da capital mineira. Um investimento de R$3,2 bilhões que está previsto para começar em 2022.

Não é a primeira promessa e, coincidentemente, não é a primeira que acontece às vésperas de uma eleição.

Em 2020, o Coluna fez uma reportagem com o levantamento de valores e projetos apresentados desde a última expansão do metrô, realizada em 2002.

CLIQUE AQUI E CONFIRA REPORTAGEM FEITA PELO COLUNA1 COM FOTOS E INFOGRÁFICOS SOBRE A EXPANSÃO DO METRÔ EM BH

CLIQUE AQUI

Nem Zema acredita muito que metrô aconteça e apela ao “se Deus quiser”

“Depois de algumas décadas, se Deus quiser, esse projeto será destravado e se transformará em realidade. É lógico que é uma obra que vai levar algum tempo para ser executada, mas pelo menos será iniciada. Vai criar empregos e dinamizar a nossa economia”, afirmou Zema.

O governador mostrou satisfação com a notícia. Mas manteve-se reticente na comemoração.

O anúncio foi feito durante reunião, em Brasília, realizada pelo governador com os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Esses ministros são os mesmos que há aproximadamente um ano atrás comemoraram a expansão do metrô ao lado de Carlos Viana. Dessa vez o senador não apareceu nem na foto oficial do anúncio. Coisas da política.

Ano passado, o governo federal fez o Senador Carlos Viana passar vergonha diante de seus eleitores. O senador teve a promessa de que os recursos necessários à expansão seriam enfim liberados. Dias depois o presidente Bolsonaro negou e o Ministério da Economia informou que não seria possível incluir o projeto no orçamento do governo.

O Senador reclamou, disse que haveria outras formas, utilizando recursos de multas e acordos com as concessionárias da rede ferroviária. Mas nada aconteceu.

Antes de Zema e Carlos Viana, Dilma já havia prometido o metrô pra BH

Antes de Zema e Carlos Viana, a ex-presidente Dilma também já havia feito a sua promessa de expansão do metrô em BH. O anúncio de Dilma foi feito em 2011 e os recursos liberados no orçamento feito em 2013. Curiosamente, um ano antes das eleições, como ocorre hoje. Naquela época os recursos não foram utilizados e retornaram para os cofre da união.

O projeto que todos utilizam como base foi realizado em 2005, ano que antecedeu a eleição presidencial de 2006. De acordo com esse projeto, serão gastos aproximadamente aproximadamente R$1,2 Bilhão para conclusão da linha2, a linha do metrô até o Barreiro, e outros R$800 milhões para ampliação da linha1.

Foi com base nesse projeto que o ex-prefeito de Belo Horizonte fez buracos na Praça7, centro de BH, para verificar a viabilidade do metrô subterrâneo naquela região. Coincidentemente, esses buracos foram feitos em 2013, ano que antecedeu as eleições de 2014, na qual o prefeito pretendia disputar o cargo de governador. Após os buracos, nada mais foi feito.

Governo promete obras para 2022, não custa lembrar, ano de eleição

“Hoje é um dia histórico para Minas Gerais. Em reunião com o governador Romeu Zema, o governo do presidente Jair Bolsonaro chegou ao acordo que possibilitará a ampliação da linha 1 e construção da linha 2 do metrô de BH. Os investimentos fazem parte do projeto de desestatização da CBTU-MG”, afirmou o ministro Rogério Marinho.

Em 1980 foi apresentado o projeto do atual metrô de BH. Ele viria a substituir os trens de subúrbio, que rodavam na região de forma precária. Detalhe, a linha dos trens de subúrbio chegou a ter 17 estações e 21 paradas, com linhas que interligavam várias cidades, incluindo Betim, Raposos e Rio Acima, entre outras.

Em 1986 o metrô entrou em funcionamento. Naquela época já havia a promessa de expansão do metrô até o Novo Eldorado e a promessa de criação da linha2, que ligaria o Barreiro ao Centro de Belo Horizonte e, de quebra, atenderia a Vila São Paulo e o Industrial, em Contagem. De lá para cá, promessas, só promessas.

Veja o histórico completo do caso:

COLUNA1: https://coluna1.com.br/2020/09/02/governo-ja-investiu-r26-milhoes-na-expansao-do-metro-mas-ate-agora-obras-sao-apenas-promessas/

Obras de contenção na Vila Sapolândia vão garantir segurança e qualidade de vida para moradores da região

A prefeitura de Contagem concluiu as obras na Vila Sapolândia, região do Bairro Industrial que desmoronou nas chuvas de 2020, deixando um morto e dezenas de desabrigados.

Em setembro de 2020 o Coluna esteve no local conversou com moradores e visitou casa abandonadas pelos moradores, que tinham medo de novos deslizamentos. Naquele momento, os moradores já conviviam, há mais de seis meses, com o medo de novos deslizamentos, incertezas e promessas da prefeitura. Muitos não estavam recebendo o auxílio moradia e por isso preferiram voltar ao local, mesmo enfrentando riscos. CLIQUE AQUI E CONFIRA.

As obras atuais foram iniciadas ainda no período de transição do governo Marília Campos, em dezembro de 2020, para evitar novas tragédias nas chuvas de verão.

Inicialmente concebidas em caráter emergencial, as obras sofreram uma readequação de projeto para que pudessem ser entregues os serviços mais adequados. Após as revisões, as intervenções seguiram normalmente.

Na Vila Sapolândia foram executados os serviços de estabilização de talude, contenção, sondagem, solo grampeado, captação de esgoto e descida de água. Os investimentos para as obras foram de aproximadamente R$ 4 milhões, oriundos de empréstimos contratados da Caixa Econômica Federal.

A Avenida Arquiteto Morandi, via onde parte da obra foi realizada, foi liberada para a circulação de veículos na segunda-feira (28/6). Essa via é ligação importante entre a Avenida Tito Fulgêncio e a Avenida Tereza Cristina, fica na divisa entre Contagem e Belo Horizonte, no Barreiro. Ela ficou fechada desde janeiro de 2020, obrigando improvisos e adaptações de linhas de ônibus que atendem a população local.

Em visita as intervenções na região, a prefeita Marília Campos destacou a importância do diálogo com a população para solucionar problemas enfrentados pelos moradores. “A Prefeitura tem o compromisso de fazer investimento para melhorar a vida do cidadão e resguardar sua integridade em locais que apresentam riscos. Fazemos isso por meio do diálogo e do trabalho”, afirmou.

De acordo com a administradora da Regional Industrial, Renata Rodrigues, as obras de contenção solucionam de maneira definitiva a proteção das encostas e proporciona segurança para os moradores do entorno. “A comunidade está muito feliz, pois está mais segura. Essa obra salva vidas. Trará mais tranquilidade e qualidade de vida para as pessoas”, enfatizou.

com informações de SECOM/YuriSoares Foto: SECOM/JanineMoraes