Polícia prende ladrões de carro no Barreiro. Suspeitos utilizavam lava-jato em Contagem para clonar chaves

Anúncios

Polícia não divulgou nome do lava-jato envolvido, mas informou que não é a primeira vez que o suspeito é envolvido neste tipo de ilícito.

De acordo com os militares, as informações ainda carecem de investigação por parte da Polícia Judiciária, mas dão conta que os envolvidos são proprietários de um lava-jato em Contagem e que o local era utilizado para clonagem das chaves de veículos de clientes, para posteriormente furtá-los. Durante a abordagem foi localizada, inclusive, uma chave clonada pertencente a um cliente do lava-jato, o qual se mostrou surpreso ao ver que a chave, não só abria como também dava partida ao seu veículo.

A descoberta começou com a abordagem de um suspeito no bairro Lindeia, em Belo Horizonte. Policiais militares do 41º BPM procederam do indivíduo de 30 anos, já conhecido por envolvimento no cometimento de vários crimes, em atitude suspeita. Durante a abordagem, ele prestou informações contraditórias o que motivou as guarnições PM a aprofundarem nas averiguações. Diligências levaram os militares a um endereço no bairro Tirol.

Os ocupantes do imóvel ao perceberem a presença policial, efetuaram disparos de arma de fogo e empreenderam em fuga. Foi acionado o Plano de Cerco e Bloqueio, inclusive com o apoio da aeronave, que culminou na prisão de quatro homens e uma mulher. 

No interior da residência foram apreendidos sete aparelhos de celulares, munições de arma de fogo, equipamentos de filmagem, bloqueador de sinal de rastreador, módulos eletrônicos, cinco chaves de ignição e controles-remotos, máquina de cartão de crédito, microcomputador, centralinas veiculares, ferramentas variadas, R$900,00 em dinheiro, $1.360 dólares, comprovantes de depósitos bancários, um veículo Ford Ranger com a placa clonada, três jogos de placas e dois CRLV, os quais constam queixa de furto dos veículos. 

A ocorrência foi encerrada na Delegacia Estadual do Plantão Digital e as investigações sobre o caso prosseguem com a Polícia Civil.

Minas Gerais é o Estado mais seguro do país, de acordo com dados do Ministério da Justiça

Anúncios

Minas Gerais é o Estado mais seguro do país em 2021, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), referentes aos meses de janeiro a maio. A base de informações agrega estatísticas disponibilizadas pelas 27 unidades federativas brasileiras e tem, por finalidade, subsidiar a implementação de políticas públicas em segurança e defesa social. Nos três últimos anos, Minas passou de terceiro colocado no ranqueamento, em 2019, para segundo, em 2020, até alcançar a primeira colocação nos primeiros meses de 2021. 

“O resultado é fruto de um trabalho integrado das Forças de Segurança. Um estado mais seguro significa, principalmente, um lugar melhor para se viver e com melhores perspectivas para os mineiros. O investidor também tem mais confiança para empreender aqui, gerando emprego e renda para a população”, afirma o governador Romeu Zema.

O Sinesp acompanha as taxas de violência de nove naturezas criminais. São elas: latrocínio, homicídio consumado, estupro consumado, roubo de carga, roubo a veículo, roubo a instituições financeiras, lesão corporal seguida de morte, homicídio tentado e furto de veículo. A base é alimentada por todos os Estados da nação, com registros de ocorrências lavrados pelas forças de segurança atuantes em cada localidade.

O ranking liderado por Minas Gerais neste ano avalia as menores taxas de incidência criminal: ou seja, o somatório de ocorrências registradas, de forma proporcional à população estadual, conforme a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o período analisado, multiplicando o resultado por cem mil. Nos casos de furto e roubo a veículos, são calculados os registros proporcionalmente à frota inscrita no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Não há atribuição de peso entre os diferentes crimes observados.

Taxa de criminalidade 

Segundo o cálculo, Minas tinha, em 2016, uma taxa de criminalidade de 474,03 por 100 mil habitantes, ocupando o sétimo lugar no ranqueamento nacional. No mesmo período, a taxa nacional equivalente era de 668,49. Em 2019, ao atingir o terceiro lugar no pódio de Segurança Pública, o estado apresentava uma taxa de 260,96 por 100 mil habitantes, enquanto o coeficiente brasileiro era de 358,51. E, finalmente, nos cinco primeiros meses de 2021, a taxa mineira é de 73,17, sendo a proporção em todo o Brasil de 145,04.

Metodologia

O banco de dados do MJSP considera, como último consolidado, o período de três meses anteriores à publicação, que, normalmente, ocorre após o 15º dia corrido. O intervalo é justificado como necessário para que as respectivas pastas de Segurança Pública e Defesa Social de todas as unidades federativas possam coletar, tratar e validar as estatísticas antes de submetê-las à base nacional.

Vale ressaltar que os dados podem apresentar diferenças para outras análises. O Observatório de Segurança Pública da Sejusp, por exemplo, compila e disponibiliza à imprensa, na seção “Dados Abertos” do site, ou sob demanda, as estatísticas mensalmente – via de regra, na segunda quinzena do mês posterior ao balanço mais recente.

Transcon alerta para golpe utilizando nome da autarquia de trânsito de Contagem

Um site falso de leilão de carros usou o nome da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte de Contagem (TransCon) para enganar as pessoas e aplicar golpes.

O endereço https://patiotranscon.com/br/ é a página de um golpe. Não tem vínculo com a instituição e usou as marcas do Leilão Seguro e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para passar uma falsa credibilidade aos compradores dos veículos.

A TransCon descobriu a fraude depois que um morador de Muriaé, município da Zona da Mata, entrou em contato com autarquia alegando ter adquirido um veículo em um leilão on-line e não ter recebido o automóvel.


Segundo Luís Felipe Calazans, representante jurídico da TranscCon, o último leilão realizado pela organização foi em 24 de outubro de 2019. “O site é falso. A TransCon não está efetuando leilão de nenhum veículo no momento e não há previsão para voltarmos com essa atividade”, afirma o advogado.

O caso já foi notificado à Polícia Civil para investigações. Em nota a Transcon informou que orienta todos os que foram vítimas do golpe a realizarem boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

SITE AINDA ESTÁ NO AR

O Coluna acessou a página da empresa acusada de golpe. O site continua funcionando normalmente. O Coluna tentou contato com os canais de atendimento divulgados no site, mas não obteve retorno.

Militares do Tático Móvel apreendem drogas em um beco no bairro Funcionários

Na quinta-feira (24), militares da 25ª Cia Tático Móvel realizaram operação “Narco Brasil” e ao averiguar denúncia anônima de tráfico de drogas no bairro Funcionários, visualizaram um cidadão, no beco alvo da denúncia.

O cidadão, percebendo a aproximação policial, fugiu aproveitando das características do terreno e da baixa luminosidade. Os policiais encontraram, no local onde o suspeito estava, uma sacola com 200 buchas de maconha.

Os materiais apreendidos foram levados para a Delegacia de Polícia Civil para as providências típicas de Polícia Judiciária.

fonte: 18º Batalhão

Homem é preso com várias armas ao tentar fugir de policiais no bairro Riachinho

Na quarta-feira (17), militares da 25ª Cia Tático Móvel realizaram operação no bairro Riachinho e avistaram um cidadão próximo de um bar. Quando este cidadão avistou a viatura, arremessou uma sacola ao solo e tentou sair correndo para o interior de um beco.

Os policiais abordaram o cidadão com o qual localizaram: 01 arma calibre 12, 01 arma calibre 38, 02 armas calibre indefinido, 07 canos com percursor, 03 canos para fabricação de percursor, 02 tubos de pólvora, 01 tubo de esferas para carregar as armas, 02 recipientes com espoletas, 02 munições calibre. 12 e 02 munições calibre. 38.

O cidadão e os materiais apreendidos foram destinados a Delegacia de Polícia Civil para as providências concernentes.

fonte: 18ºbpm/PMMG

Escola em Nova Contagem é arrombada. Vândalos levam computadores e equipamentos eletrônicos

Funcionários foram surpreendidos com o arrombamento da Escola Estadual Adriano José da Costa, no bairro Retiro, em Nova Contagem. A invasão ocorreu na madrugada desta terça-feira, dia 26 de janeiro.

Os vândalos arrombaram grades, portas e janelas. Os armários dos professores foram arrombados e documentos espalhados pelo chão. Segundo a Polícia Militar foram levados computadores, caixas de som e impressoras. Em nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que está realizando o levantamento dos bens levados.

O Sind Ute lamentou a situação e cobrou do governo estadual uma maior proteção das escolas, que estão fechadas há mais de dez meses por causa da pandemia.

A direção da escola registrou o Boletim de Ocorrência. O caso já está sendo investigado e a Polícia Militar está procurando por suspeitos de terem feito a invasão.

imagens: divulgação Sind Ute

OPINIÃO

A invasão de escolas infelizmente não são incomuns. O lamentável e repugnante é que na maioria das vezes o objetivo não é propriamente a busca de um lucro com a venda dos materiais roubados. Muitas vezes a invasão tem como único objetivo vandalizar, estragar e destruir a escola.

Veja este caso, como exemplo. As fotos divulgadas mostram vários computadores e impressoras que valeriam algum dinheiro rápido e curto em um topa-tudo qualquer. Mas os vândalos não levaram, apenas destruíram. Se o objetivo fosse fazer dinheiro, tinham levado mais coisas. Mas não levaram; apenas destruíram. Um ato que só traz prejuízos.

É repugnante porque é a mais infeliz demonstração de burrice. Burrice que nesse caso se refere aos atos de idiotice deliberada, que demonstram simplesmente a falta de inteligência de quem os pratica.

Casos como esses da invasão de escolas é a demonstração da violência natural da burrice, uma condição de idiotice que se orgulha e reafirma sua situação infeliz. É uma revolta não apenas por ser burrice, mas principalmente por ser inútil. Ninguém ganha nada com coisas assim, nem o burro do ladrão.

Quebrar uma escola não ajuda em nada. Mas o vândalo é tão burro que não consegue ver nada além da sua viseira de inutilidade. Enquanto a idiotice reina, aqueles que vivem de explorar a burrice alheia espiam e riem; em alguns casos até incentivam a burrice, pois a burrice é a maior garantia da submissão dos idiotas.

O Brasil está na condição que está porque criou-se aqui o infeliz hábito cultural de venerar a idiotice. Ser inteligente é brega, ser burro é chique. O país se afunda enquanto os idiotas riem. “Nossa eu sou muito burro”, diz um. “Eu sou mais”, ri o outro.

Em mais um ato de burrice alguém poderia dizer, “bom para os inteligentes, que vão se dar bem em cima dos burros”. Mas não é assim que funciona. O inteligente de verdade sabe que em sociedade, um depende do outro e a burrice de um prejudica a todos.

E qual a saída? Não existe uma saída única. Mas com certeza, a escola faz parte da solução desse problema. A escola sozinha, não salva ninguém. Mas sem escola, ninguém se salva. Aí vem um burro qualquer e ataca a escola. O único espaço que poderia ajudar aos idiotas é destruído pelos próprios idiotas.

É inclusive a burrice coletiva que garante o anonimato aos idiotas que fazem atos como esses. Eu tenho certeza que o asno que cometeu essa destruição já se vangloriou em alguma roda de amigos. Um deles, sem alarde e sem barulho, poderia denunciar o vândalo para a polícia ou a quem interessar. Mas ninguém fala nada. Não fala nada porque é burro e não percebe que o silêncio é uma corda que nos enforca vagarosamente, dia a dia.

Mas não. Ninguém denuncia. A burrice é corporativista. A burrice é tão arrogante e orgulhosa quanto é conivente. É quase um ato de admiração que impede um burro de denunciar o outro, que fez uma burrice ainda maior que já habitual do rebanho.

Assim, de atos de idiotices seguidos de atos de idiotices, seguimos a viagem. E nossa infeliz veneração à idiotice se espalha feito erva daninha no pasto. O rebanho já é tão grande, tão resignado em sua situação de insignificância e tão feliz ao arrotar burrice por aí, que daqui a pouco a burrice já terá destruído tudo que nos torna diferentes dos animais.

Nesse momento, talvez, os burros percebam, como gastaram a vida inutilmente em burrice que não os levou a lugar algum, senão ao matadouro comum que aguarda a todos que se omitem da tentativa de se tornarem pessoas melhores.

Polícia apreende barras e porções de maconha e prende suspeito de entregar drogas

Já era madrugada desta segunda-feira (14/12), quando militares prenderam um homem em Contagem, suspeito de entregar drogas com uma moto. A Polícia Militar apreendeu 31 barras e 24 porções de substância similar a maconha, três balanças, uma máquina de cartões e uma identidade falsa, material este encontrado na casa do suspeito, no bairro Jardim Industrial. 

Os policiais receberam uma denúncia anônima, informando que um homem estava entregando drogas em uma moto. Os policiais encontraram material em dois cômodas da casa.  Ele contou que, a cada 15 dias, recebia dinheiro para guardar a droga.

Ele foi preso em flagrante e já tem passagem pela polícia por uso de drogas e foi levado junto com o material apreendido para a Delegacia de Contagem. O outro suspeito, que é apontado como dono da droga, continua sendo procurado

Polícia apreende grande quantidade de produtos receptados em Contagem

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) localizou, na tarde dessa terça-feira (3/11), mais de 25 toneladas de polvilho, 600 galões de 18 litros de óleo de soja, entre outros materiais receptados. Os materiais foram encontrados em dois galpões, localizados em Contagem, na região metropolitana.

Na ocasião, três indivíduos que se apresentaram como responsáveis pelos produtos foram encaminhados à Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas para providências legais.

A investigação teve início na última quinta-feira (29), após uma equipe da Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Furto, Roubo e Desvio de Cargas (Depatri) receber informações de que parte de produtos desviados estariam sendo comercializados por uma empresa de Contagem.

A carga desviada, de mais de 500 toneladas de polvilho azedo e 180 toneladas de fécula de mandioca, pertence a uma empresa de produtos alimentícios e industrial, localizada no Paraná. Ela foi alvo do crime de estelionato em junho deste ano e registrou a ocorrência um mês depois do ocorrido, na cidade de Paranavaí, no Paraná.

Apreensões

Após levantamentos, nessa terça-feira (3/11), a polícia mineira conseguiu apreender, em uma empresa de produtos alimentícios em Contagem, aproximadamente 400 sacos de polvilho azedo, parte da carga desviada no Paraná. Um empresário de 60 anos foi conduzido à delegacia e irá responder por receptação.

No mesmo dia, os policiais identificaram outros dois galpões, também em Contagem, com mais de 25 toneladas de polvilho, 600 galões de 18 litros de óleo de soja roubados, 50 caixas de cola e 600 caixas de ketchup, todos sem documentação ou procedência comprovada.

O polvilho apreendido corresponde aos lotes roubados no Paraná, já o óleo foi identificado como produto de roubo de carga, ocorrido no dia 2/11, na BR-262, altura do município de Araxá, no Alto Paranaíba. Não foi possível determinar a procedência dos demais materiais apreendidos, porém não foi apresentada a documento de origem. Nessa ação, dois empresários, ambos de 46 anos, foram encaminhados à delegacia e também irão responder por receptação.

Todos os produtos foram depositados aos proprietários e aguardam a vinda de representantes das empresas vítimas para devida restituição. As investigações continuam a fim de localizar os demais materiais subtraídos, assim como para identificar e prender outros envolvidos no crime.

Duas pessoas presas em Contagem são indiciadas por fraude e roubo de dados para falsificar contas e cartões bancários

Polícia indicia seis pessoas por fraude em cartões e bancos. Dois foram presos em Contagem, três em Belo Horizonte e um foi preso em São Paulo. A fraude funcionava da seguinte forma. Um deles era dono de uma empresa e utilizava os dados fornecidos por clientes – CPF, CNH, RG, entre outros – para falsificar carteiras de habilitação.

Eles criavam documentos de CNH com dados verdadeiros, mas com a foto de um dos criminosos. De posse desse documento, eles solicitavam abertura de contas e cartões de crédito; assim que recebiam, sacavam todo o dinheiro possível.

Segundo apurado, o grupo vinha aplicando o golpe há cerca de quatro anos e ostentava uma vida de luxo nas redes sociais.

As investigações referentes à operação Clone tiveram início em junho deste ano, quando a Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Roubo a Banco, do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), notou um aumento do número de fraudes bancárias no estado. Com os levantamentos, os policiais identificaram três suspeitos e, no dia 7 de julho, prenderam o trio em flagrante em Belo Horizonte.

Naquela ocasião, foram apreendidos vários materiais, como máquinas de cartões, documentos adulterados, cartões de crédito em nome de terceiros, solventes e produtos utilizados para “lavar” documentos, impressora, entre outros.

Dando continuidade às apurações, os policiais identificaram outros três integrantes do grupo, sendo que dois deles foram presos em Contagem, Região Metropolitana, no dia 17 de setembro. O outro investigado estava com mandado de prisão em aberto e foragido. Os trabalhos de busca culminaram na prisão dele, no último dia 23, na cidade de São Paulo.

Os suspeitos foram indiciados pelos crimes de estelionato, falsificação de documento e organização criminosa. As penas podem chegar a 19 anos de reclusão. As investigações continuam para identificar e prender os demais integrantes do grupo.

Operação da polícia civil prende estelionatário em Contagem. Suspeito comandava roubos de cargas

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, na manhã dessa quinta-feira (24), em Contagem, região metropolitana, um homem, 24 anos. Ele é suspeito de ser o principal integrante de uma organização criminosa especializada em roubo e furto de cargas. Investigações apontam que o grupo atua em todo o estado de Minas Gerais.

O suspeito é investigado em diversos inquéritos, referentes a essa modalidade de crime, principalmente em roubo a cargas de cigarros. De acordo com os policiais responsáveis pela investigação, o suspeito é considerado de alta periculosidade.

As apurações e a prisão foram realizadas pela Delegacia Especializada em Furto, Roubo e Desvio de Cargas (Depatri). As investigações continuam a fim de identificar e prender os demais componentes da organização criminosa.